Clínica do Joelho e Ombro - Prof. Gutierres - Médicos e Ortopedia

SIGA-NOS Facebook Vimeo
LESÕES DA CARTILAGEM
 
A cartilagem que reveste a articulação do joelho permite uma boa mobilidade entre as diferentes superfícies articulares com baixo atrito e sem dor. No entanto, devido ao desgaste a que é submetida pode ser sede de patologia.
 
Condromalácia
A Condromalácia é uma artropatia degenerativa, frequente em adolescentes do sexo feminino em especial na rótula, caracterizada pelo amolecimento (malácia) e fissuração da superfície cartilaginea. Quando aí localizada, o sintoma mais habitual é a dor ao correr e a subir e descer escadas. A Fisioterapia nomeadamente com Hidroterapia tem um papel fundamental no seu tratamento. 
 
Lesões Condrais Localizadas
As lesões condrais localizadas (osteocondrites dissecantes, fracturas osteocondrais,..), afectam geralmente o osso subcondral o que obriga geralmente a intervenções artroscópicas no sentido de regularizar as lesões (shavings e curetagens), revascularizá-las (furagens, drillings retrógrados, microfracturas) ou então substitui-las por cartilagem sã transplantada de outras zonas do joelho (mosaicoplastias).
 
Recentemente, tem sido tentada a utilização de factores de crescimento e cultura de condrócitos no tratamento destas patologias, técnicas estas que, juntamente com utilização de stem cells, temos vindo a testar.
 


Síndromes Rotulianos
Os síndromes rotulianos tem geralmente na sua etiologia, deficiente alinhamento do aparelho extensor do joelho que levam a que, com a contracção quadricipital, a rótula tenda a bascular lateralmente, originando hiperpressão na sua faceta externa e eventualmente instabilidade e luxação recidivante. São por isso necessários exames imagiológicos ( neste caso, com Rx e TAC) para estudo das relações femuropatelares nomeadamente medições de altura da rótula, ângulo troclear, ângulo de báscula, TAGT, etc.. 

É em função da sintomatologia e dos valores encontrados nestes exames que é elaborado o plano de tratamentos.
 
De uma forma geral, podemos dizer que, em doentes com síndromes rotulianos nos quais o alinhamento da tuberosidade da tíbia com o sulco troclear do fémur estão relativamente preservados, então o tratamento Fisiátrico com reforço do músculo vasto interno está indicado. Este objectivo pode ser atingido com exercícios isométricos ou isotónicos efectuados com os joelhos em rotação externa, ou mesmo electroestimulação, de forma a desenvolver preferencialmente o grupo muscular pretendido.
 
Se houver alterações angulares acima de determinados valores, então é necessário fazer cirurgia para realinhamento proximal ou distal à rótula com medialização da tuberosidade tibial.