Clínica do Joelho e Ombro - Prof. Gutierres - Médicos e Ortopedia

SIGA-NOS Facebook Vimeo
ROTURA DO LIGAMENTO CRUZADO ANTERIOR 
 
Em desportos com muita exposição dos joelhos aos traumatismos, especialmente forças de torção como ocorrem numa mudança de direcção, são frequentes as roturas dos ligamentos cruzados. No entanto, forças de baixas magnitude podem também causar roturas em ligamentos enfraquecidos pela idade, doença, imobilização, esteróides ou insuficiência vascular. Devido a isso, um bom fortalecimento muscular e proprioceptivo, promove uma mais segura prática de exercício físico e pode, em muitas situações, anular os sintomas de instabilidade habitualmente associados com estas lesões.
 
Assim, o doente habitualmente refere que o “joelho falha” na execução de determinados movimentos. O diagnóstico é feito pelo exame clínico (manobras de gavetas) e pela RMN. O tratamento nos indivíduos jovens, sintomáticos, consiste na colocação de um enxerto tendinoso a substituir, na sua posição primitiva, o ligamento lesado
 
As técnicas para ligamentoplastias que utilizamos são totalmente artroscópicas, o que permite aproveitar as vantagens da cirurgia mini-invasiva. Incisões pequenas com nítida vantagem cosmética, menor agressão cirúrgica o que se traduz em menos dor e um melhor pós operatório, além de uma taxa de complicações muito baixa.
 
Habitualmente a técnica que praticamos utiliza os tendões isqueotibiais, o que permite poupar o rotuliano, mantendo íntegro o aparelho extensor.
 
Aspecto das pequenas incisões necessárias para realizar esta intervenção. 
 
  
 
O duplo feixe de enxerto obtido é dobrado e preparado de forma a apresentar elevada resistência à tracção e às solicitações mecânicas da articulação. 
 

A execução dos túneis, através do qual o enxerto vai ser colocado, deve ser o mais próximo possível da posição primitiva do ligamento que estamos a substituir, de forma a mimetizar ao máximo a função estabilizadora deste. 
 

 
 
 
 
ROTURA DO LIGAMENTO CRUZADO POSTERIOR
 
As lesões do ligamento cruzado posterior são mais raras e, habitualmente, são acompanhadas da lesão de outras estruturas, nomeadamente da cápsula e outras estruturas postero-externas.  

Só tem indicação para cirurgia quando um programa de reabilitação bem instituído for insuficiente para resolver a sintomatologia. 
 
 
 
ROTURAS DOS LIGAMENTOS COLATERAIS
 
Resultam habitualmente de um traumatismo na face lateral ou medial da articulação do joelho ou da tíbia que cause um stress em valgo ou varo que ultrapassa o limite de resistência das fibras dos ligamentos colaterais.
 
O tratamento destas lesões pode ser conservador ou cirúrgico, consoante o grau de ruptura e as lesões associadas.
 
Actualmente existem ortóteses que nestas situações estabilizam o joelho, mas ao mesmo tempo permitem fazer flexão-extensão e assim manter a actividade do quadricipete.